TAG: Halloween Literário

Olá Pessoas,

taghlit

Hoje eu vim fazer uma TAG que vi lá no canal Cabine Literária. Vamos, lá?

1. Qual seu livro favorito de terror ou suspense?

DSC00648Primeiro preciso dizer que qualquer coisa que o Edgar Allan Poe escreveu é o meu preferido, mas ele não escrevia romances então não vale (roubadinha básica). Se você quiser saber meus contos preferidos dele tem aqui. Mas, enfim meu livro preferido é Os Três da Sarah Lotz, que eu amei é maravilhoso, incrível, gostoso. Tem resenha aqui no blog e não é só pra fazer propaganda que eu escolhi não. Leiam esse livro pelo amor de Deus, não é somente o meu livro de terror preferido, mas um dos meus livros favoritos de todo o sempre.

2. Pra festa de Halloween, você precisa se fantasiar de um personagem de um livro. Qual será?

Acho que pode ser qualquer um, né? Então seria a Cealena de Trono de Vidro, se eu fosse magra e linda e loira. Mas como eu não sou, pode ser de Hermione mesmo, mais fácil.

3. Um personagem que não é de livro de terror, mas que você acha assustador.

fei

A feiticeira branca das Crônicas de Nárnia do C.S.Lewis. Não gosto dela não. rsrsrs

 
 

4. Vampiros ou lobisomens?

Vampiros, com certeza.

5. Se forem vampiros, qual o seu vampiro preferido da literatura? Se forem lobisomens, qual seu lobisomem preferido da literatura?

catbonesComo escolher só um? Não dá porque eu amo muito vampiros. Então tem o Drácula de Bram Stoker, o Bones de Night Huntress (Caçadora da Noite) da Jeaniene Frost, o Vishious de The Black Dagger Brotherhood (Irmandade da Adaga Negra) da J. R. Ward e o Eric de The Southern Vampire Mysteries (As Crônicas de Sookie Stackhouse) da Charlaine Harris.

6. Qual um livro de terror que você tem vontade de ler?

Capa O Iluminado_SUMA_Nova.indd

O Iluminado do Stephen King. É uma vergonha alguém que gosta tanto do gênero quanto eu não ter lido nada dele ainda. Desonra pra mim, desonra pra minha família e desonra pra minha vaca.

 
 

7. Gostosuras ou travessuras? Diga um livro gostosura e um livro travessura.

vishousFEITA_DE_FUMACA_E_OSSO_1345917006P

Um livro gostosura é o novo amor da minha vida Feita de Fumaça e Ossos da Laini Taylor. E travessura são os livros da Irmandade da Adaga Negra da J.R. Ward, meu “guilty-pleasure”.

 
 

E pra me vingar da Tag10 livros para 10 músicas eu vou marcar a Bia e a Ana do Na Sua Estante, a Bel do Daily Sweetness e a Fê do InLoveForWords. E todas vocês que queiram responder.

Quem fizer a TAG linka aqui nos comentários as repostas que eu quero ver.

Beijos e Feliz Halloween jack-icon

Anúncios

Filmes de Halloween que não dão medo

Olá pessoas.

Assim como a minha Playlist Músicas de Halloween, eu quis fazer umas dicas de filmes de Halloween que fujam dos clássicos filmes de terror. Eu adoro filmes de terror, mas também existem filmes de Halloween bem legais e nada assustadores pra quem gosta de dormir a noite rs. Então, eu separei alguns dos meus preferidos pra mostrar pra vocês que todo mundo pode aproveitar o Halloween.

Da Magia à Sedução (Practical Magic)


Não se enganem pelo nome, esse filme não tem nada demais nudez e sexo. Simplesmente é uma história sobre bruxas irmãs e sua ligação com a magia. É um filme bem leve e bobinho mas que eu adoro. Ele é baseado em um livro de mesmo nome que eu não sei se tem edição em português, mas que eu li uma parte e gostei muito.

Abracadabra (Hocus Pocus)


Esse filme é um clássico do halloween americano. Não existe um americano que deixa de citá-lo em seus filmes preferidos com a temática. É aqueles filmes bem sessão da tarde com altas trapalhadas, mas é bem divertido. Eu indico se você procura um Halloween sem terror algum.

Jovens Bruxas (The Craft)


Vocês já devem ter reparado que eu amo a temática de bruxaria (e não tem nada a ver com Harry Potter, ou sim). Esse filme foi um dos poucos que eu aluguei uma vez na locadora (pessoa que nasceu nos anos 90 falando) e me surpreendi. Ele é meio que a mistura de meninas malvadas com abracadabra rsrsrs, vale a pena assistir.

Família Addams (Addam´s Family)


Precisa falar? Clássico, clássico, clássico. E muito divertido. Tanto os filmes, quanto as séries e as animações são maravilhosas para assistir e não fica mais “Halloweenistico” que isso.

A Feiticeira (Bewitched)


Esse é um filme recente baseado naquela série famosa dos anos 60. Não gosto muito do Will Ferrell, mas gostei bastante desse filme. Ele tá mais pra uma comédia romântica, mas não deixa de ter o gato preto e muitas vassouras.

Coraline


Parece Tim Burton, mas não é. Coraline é um filme de animação baseado na obra de mesmo nome de Neil Gaiman (tem resenha aqui). Esse é uma dessas animações macabras que eu adoro. Adoro tudo nessa história, absolutamente.

Harry Potter


E porque não fazer uma maratona de Harry Potter no mês do horror? Eu não sei porque, mas Harry Potter é tão icônico na minha vida que muitas vezes eu até esqueço que ele pertence a esse mundo do “horror”.

E aí gostaram? Mais alguma sugestão? Me deixem nos comentários.

Feliz Halloweenjack-icon

TAG: 10 livros para 10 músicas

Fui “tagueada” (ainda acho essa palavra estranha e não sei se escrevi certo) pela Ana e a Bia do blog Na Sua Estante, para responder essa tag em que você escolhe músicas para relacionar com livros.

Achei essa TAG muuuuito díficil e quebrei minha cabeça pra conseguir essas 10 músicas e livros. Mas, enfim saiu. Então vamos lá.

1. “When it rains” – Paramore

Crepúsculo_livro MI0000692586Na verdade, o álbum inteiro Riot! me faz lembrar de Crepúsculo. Principalmente porque eu passei o ano inteiro de 2007 ouvindo esse álbum e relendo o livro. Vocês não imaginam o quão surreal foi pra mim mais tarde descobrir que a banda foi escolhida para a trilha sonora do filme, o que pra mim já era uma combinação “feita”. Achei muito interessante.

2. “Keep holding on” – Avril Lavigne

Harry Potter e a Ordem da Fênix keepavrilEmbora essa seja a trilha sonora do filme Eragon, eu acho que essa música tem tudo a ver com Harry Potter, principalmente a fase que ele está vivendo na Ordem da Fênix. Eu amo essa música.

3. “The memory of Trees” – Enya

Download-livro-O-Hobbit-J-R-R-Tolkien-em-Epub-mobi-e-PDF cd-enya-the-memory-of-trees-best-of-new-age-13922-MLB219676370_6424-FPra mim qualquer música da Enya me faz lembrar a senhor dos anéis, terra média e elfos rsrsrsrsrs. Como eu não li O senhor dos anéis, vou relacionar com O Hobbit. Tem uma pegada meio mística, meio calmante.

4. “Rock n Roll All Night” – KISS

estradajpg KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERAA Estrada da Noite tem tudo a ver com rock n roll, afinal o personagem principal é uma estrela do rock. Acho que ele tocava um metal mais pesado, mas passei o livro inteiro imaginando ele como o Gene Simmons do Kiss.

5. “Dream” – Priscila Ahn

O-pequeno-príncipe dreamEu amo essa música. Pra mim ela remete a infância com sua doçura, calma e inocência. Eu gosto de ouvir antes de dormir para relaxar. A letra é tão linda e me lembra a inocência dos olhos e sonhos de uma criança. Assim como o livro do Pequeno Príncipe.

6. “Alone” – Heart

catbones Heart-Alone-103566Essa foi uma música que eu conheci na série Glee e fiquei viciadinha no mesmo período que estava lendo One Foot in the Grave (Com um pé na sepultura, em português. Blé!). Essa música em particular me faz lembrar do livro não só pela história, mas porque o refrão diz: “And now, it chills me to the bone, how do I get you alone” e o nome do personagem principal é Bones =). Enfim, me faz lembrar, pronto, acabou. rsrsrs

7. “Wildest Dreams” – Taylor Swift

a-selecao Taylor_Swift_-_Wildest_Dreams_(Official_Single_Cover)Eu sou apaixonada pela Taylor e enquanto eu lia A Seleção eu achei que essa música tinha tudo a ver com a história da América e do Maxon. Do tipo “não podemos ficar juntos então lembre-se de mim nesse vestido lindo admirando o horizonte”, rsrsrs.  Além disso, eu imagino eles dançando essa música no baile.

8. “Fancy” – Iggy Azalea feat. Charli XCX

gg Iggy_Azalea_-_Fancy_(feat._Charli_XCX)Sabe aqueles livros que você nem lembrava que leu até ouvir uma música? Pois é. Eu sempre gostei de Gossip Girl e por um tempo lia os livros, mas como foi uma amiga que emprestou, eu não lembro direito até qual eu li. Apesar disso, essa música me faz lembrar muito as garotas e garotos riquinhos do Upper East Side.

9. “We belong” – Pat Benatar

morro Pat_Benatar_-_We_BelongO Morro dos Ventos Uivantes é o meu romance favorito, por isso eu não podia deixar de associar ele com várias músicas, não é mesmo? E tem que ser músicas velhas, aquelas dos anos 80, embora o livro seja do século XIX acho que combina muito (na minha cabeça, lógico). Eu amo a música We Belong e eu acho que combina demais com a atmosfera nebulosa do livro.

10. “Wonderland” – Natalia Kills

box-saga-encantadas3-livros-sarah-pinborough-frete-gratis-804201-MLB20296928154_052015-O natalia-kills-wonderlandEmbora a música chame Wonderland, ela não me lembra Alice no País das Maravilhas e sim princesas dos contos de fada. Mas não qualquer princesas, princesas do “mundo real”. “Não sou a branca de neve, mas estou perdida dentro dessa floresta. Não sou a Chapeuzinho Vermelho, mas acho que os lobos me pegaram. Não quero saltos altos, eu não sou a Cinderela. Não preciso de um cavaleiro, amor, então tire toda a sua armadura.” Acho que combina demais com a Saga Encantadas da Sarah Pinborough, que mostra os contos de fada de uma maneira muito mais “real”.

Gostaram da TAG? Eu vou taguear todos os meus leitores para responder essa TAG e me deixem os links nos comentários para eu poder ler e curtir.

Feliz Halloween jack-icon

Expectrum Patronum 

Muitas coisas eu aprendi nesses 23 anos de existência. Algumas boas, outras más, e outras que machucam. Essa é uma das que machucam: nunca espere por um segundo, que as pessoas façam por você o mesmo que você fez por elas. Nunca espere o mesmo grau de carinho, de respeito, de gratidão, de compreensão ou de consideração. Não vai acontecer. Cheguei a um ponto que até me sinto uma idiota completa por sequer ter esperança do contrário.

É engraçado como isso se apresenta em uma fórmula pra mim. Eu sempre fui uma pessoa que tinha medo de não agradar, e mais, que não se importava de deixar um desejo próprio de lado para atender o dos outros,  que ao meu ver, sempre eram um pouco mais urgentes. Mais urgentes não por serem de suma importância, mas porque eu simplesmente não me importo de deixar de sair para ficar em casa fazendo companhia a um amigo, de deixar de ler um livro pra atender um telefonema e ouvir sobre os problemas alheios, de ir no cinema quando a amiga não tem dinheiro de ir na balada, de esconder minhas vontades e pensamentos casuais (essa blusa é horrível e você sabe) para não deixar alguém triste. Essas pequenas coisas de pessoas que significam muito parecem tão mais importantes do que algo tão vã quanto as minhas vontades. Não entendam mal, não sou da facção abnegação e respiro altruísmo, eu só não me importo de me apagar um pouco para deixar outra estrela brilhar. Que idiotice.

Em um mundo em que ser individualista vale todo o ouro existente, eu escolho esse caminho. E ai chega o dia, o dia que eu caio de cara em uma lama traiçoeira e movediça que eu mesma criei. Primeiro vem a pergunta x (lembram da fórmula?). “Tudo bem?” para algo que a pessoa fez ou quer/vai fazer. Será que a própria necessidade da pergunta não determina a natureza da resposta? Se realmente tivesse tudo bem, a pessoa saberia e nem precisaria me perguntar. Mas, ela sempre pergunta. E diferente da simples indagação de cortesia que fazemos diariamente quando encontramos alguém (Oi, tudo bem?) não se espera uma resposta positiva. Ou será que as pessoas são tão ingênuas que esperam? Duvido que seja o caso, mas prefiro ter esperanças do que comprovar o descaso da pergunta, como se a pessoa já não soubesse.

E o que eu digo? Letra A) Digo que está tudo bem e retenho aquele sensação de injustiça de que a pessoa está me pondo em uma situação que no passado em situação inversa eu não a puis por medo de machucá-la ou qualquer outro motivo. Sabendo que corro o risco de mais tarde jogar aquilo na cara da pessoa, o que não me parece justo, já que a pessoa vai botar a sua mais completa máscara para dizer: mas, você falou que tudo bem. Letras B) digo que não está tudo bem e passo por uma idiota ciumenta e necessitada, que “cobra” os outros pela dignidade que os demonstrou.

Ambas as respostas trazem sofrimento para mim e pouco importam para a pessoa que pergunta. Então por que? Pra que perguntar? Pra que perguntar se eu me importo de ficar sozinha em casa enquanto você vai pra balada quando eu em um situação inversa fui companheira? Pra que dizer se tudo bem não ter tempo de ouvir os meus problemas quando eu negando minhas vontades e afazeres ouvi os seus? Se eu digo que tudo bem, depois “guardo recentimentos”, se digo que não estou sendo mesquinha e “cobrando”. E qual o problema? A questão não é cobrar, a questão é que depois de tudo que você fez ou deixou de fazer pela pessoa você espera, e somente espera que ela seja um amigo, um namorado, um familiar decente que faça pelo menos um pouquinho do que você fez por ela. Eu não faço boas ações com segundas intenções de receber tudo de volta. Mas, eu e você estaríamos mentindo se disséssemos que não esperamos pelo menos o mínimo de consideração de volta. E eu te digo aqui e agora: você não o terá. No máximo, com a guarda levantada, a pessoa vai dar a resposta Y de que não pediu que você fizesse nada por ela, que não cobrou e que você fez porque você quis. Em um ato de extremo egoísmo e individualidade. Foi-se o tempo em que as pessoas apreciavam as boas coisas que sim, não foram pedidas, mas que você sem necessidade quis fazer em direção a elas. O “você fez porque quis” não devia ter um valor? E um grande valor. Por isso mesmo, eu fiz porque eu QUIS. Não porque você pediu, não porque eu achava necessário, não porque era o certo, mas porque eu QUIS. Eu fiz por você e o que eu ganhei? Um grande monte de nada. Ganhei indignação, egoísmo e desconsideração.

Não faça nada por ninguém porque depois que você ouvir isso acima, ninguém vai chorar com você. No final a única pessoa que vai secar suas lágrimas é você mesmo. Quando os dementsdores baterem na sua janela a congelando, é você sozinho que terá que limpar as lágrimas e conjurar uma memória feliz para afastá-los com um complicado feitiço. Expecto Patronum.

TAG: Taylor Swift (RED)

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje é o aniversário da querida Luma linda do blog Antes das cinco (entrem lá AGORA!) e para comemorar essa data linda, eu vim aqui para responder uma tag que eu vi lá e fiquei louca \o/.. Aparentemente é uma tag muito famosa da Booksfera que é a Tag Taylor Swift Livros. Heeeeeeeee.  Depois de pesquisar muito eu cheguei a fonte original que é esse vídeo aqui. No entanto, eu como uma boa fã, adaptei um pouquinho, inseri algumas músicas e tirei outras para que a tag ficasse exclusivamente do álbum RED, que é o meu favorite! E aqui vai.

1. State of grace. – um livro que te deixou nas nuvens depois de terminado.1

A menina que roubava livros – Markus Zusak

Daqueles que você termina, abraça e chora.

2. Red. – um livro com a capa vermelha.
2

Drácula – Bram Stoker

Eu sei que não é uma capa inteira vermelha, mas eu acho maravilhosa.

3. Treacherous. – um livro que você não achou que ia gostar, mas adorou. Mortesubita-jk

Morte Súbita – J.K. Rowling

Eu estava com a expectativa lá no alto e não me decepcionou, embora muito diferente do que eu imaginava.

4. I knew you were trouble. – um livro com um personagem mau, mas que apesar disso você não conseguiu resistir e se apaixonou por ele.4

Cruel Beauty – Rosamund Hodge

É um livro completamente diferente de tudo que eu já li.

5. All too well. –  um livro que faça você se sentir nostálgico.

Capa_Harry_Potter_e_o_Cálice_de_Fogo_(livro)

Harry Potter – J.K. Rowling

Eu não consigo fazer uma tag sem citar Harry Potter, né? Mas esses livros principalmente a ordem e o cálice, me trazem muito nostalgia da infância.

6. 22. – um livro que te fez sentir viva e jovem.

Capa Marina.indd

Marina – Carlos Ruiz Zafón.

Leitura recente, eu gostei muito. Me fez sentir livre.  Para quem se interessar tem resenha aqui no blog.

7. I almost do. – um livro que você quase gostou.

IMG_0008

Divergente – Veronica Roth

Quase minha distopia preferida. Saiba porque aqui.

8. We are never ever getting back together. – um livro ou série que você estava amando, mas que depois você decidiu que queria “terminar” com ele/ela.

8

The Sookie Stackhouse Series – Charlaine Harris

Eu gostei tanto do começo da série, mas depois começou a desandar. O mesmo aconteceu com a série de tv.

9. Stay, stay, stay. – um livro que você não queria que tivesse acabado.

32

Stolen – Lucy Christopher

Ai gente, fiquei tão orfã deste livro. Eu gostei muito e ache que o final foi bem de acordo com o livro, mas aquela minha parte egoísta queria outro final, outro livro, outros 15 livros. Ai, lindo!

10. The last time. – um livro que você tentou ler várias vezes e não conseguiu._CIDADE_DOS_OSSOS_1359500416P

Cidade dos Ossos – Cassandra Claire

Ai gente, como pode? É um livro que é a minha cara, mas eu simplesmente não consigo ler. Não sei se é a escrita, mas não dá.

11. Holy ground. – um livro que te traz boas lembranças.

5

O pequeno príncipe – Antoine de Saint-exupéry

Precisa explicar? Acho que todo mundo lembra a infância quando lê essa preciosidade.

12. Sad, beautiful, tragic. – um livro triste, lindo e trágico.

Lucíola – José de Alencar

Porque não tem nada mais triste, lindo e trágico que a segunda fase do romantismo.

13. Everything has changed. – um livro em que o personagem se desenvolve bastante.halfway-to-the-grave-lg

Halfway to the grave – Jeaniene Frost

Uma das minhas séries favoritas (até a autora cagar os últimos 3 livros) e uma personagem que passou de mocinha pra super Badass. Amo!

Bônus. Come back, be here. – um livro que você não gosta de emprestar por medo de nunca mais voltar.518UaanaWIL
Lógico que seria a minha coleção maravilhosa, linda, gostosa e britânica de Harry Potter que eu trouxe diretamente da fonte: UK.

Gostaram da tag? Eu quero saber a resposta de vocês também. Então respondam ou deixem os links aqui nos comentários.

Beijos.